Moradores debatem uso do Pelezão como abrigo temporário

0
141

Foto: Divulgação

Divulgação
Fórum Social Leopoldina defende acolhimento com dignidade

Na segunda-feira, 8, o Fórum Social Leopoldina realizou um encontro especial, no Clube Pelezão, para discutir o uso do equipamento como abrigo temporário para a população de rua da cidade no período de outono-inverno, quando a prefeitura realiza a Operação Baixas Temperaturas.

Moradores do City Lapa e usuários do clube mostraram-se preocupados com a possibilidade, mais uma vez, de os ginásios do Pelezão serem interditados para uso da Secretaria Municipal de Assistência Social (SMADS), como tem ocorrido desde 2018. “Não se trata de ser higienista, negando abrigo a quem precisa se proteger do frio, mas cabe perguntar por que a prefeitura não investe na construção de um grande centro para emergências, que poderia ser usado não só no inverno, mas em qualquer situação fora do comum”, questionou a arquiteta e urbanista Maria Laura Fogaça Zei, moradora da região.

Para a coordenadora do Fórum Social, Luciana Pazzini, seria importante que o Pelezão retomasse o seu Conselho Gestor, inativo há anos. Dessa forma, segundo ela, seria mais fácil levar adiante as demandas  dos usuários do espaço e a busca conjunta por soluções para problemas como o uso do clube como albergue temporário. “Defendemos que o atendimento emergencial aos moradores de rua seja feito com dignidade e não com improvisação, como há muito tempo vem acontecendo com o uso do Pelezão”.

Já á supervisora de Assistência Social da Lapa, Cleide Leonel, pondera que, devido à complicada logística de transporte dos moradores de rua do Centro aqui para a Zona Oeste, diariamente enquanto acontece a Operação Baixas Temperaturas, o Clube Pelezão não é o melhor local para ser utilizado. “Com certeza, há outras opções mais próximas da região central, onde se concentra a maior parte da população de rua”, ressaltou.

Reconhecido como um dos melhores equipamentos de esporte e lazer da cidade, o Pelezão, segundo a coordenadora do espaço, Thaís Tomazelli Remedi, está com uma programação bastante intensa de atividades, além de estar passando por grandes reformas. “A área da piscina vem sendo totalmente modernizada e os ginásios estão com agendas definidas para eventos como MMA e aulas de vários esportes”, explicou. “Com tudo isso, a interdição do clube para receber os moradores de rua teria que ser bem planejada, caso venha a acontecer”, disse.

NO COMMENTS

LEAVE A REPLY