Ateliê da Leopoldina leva multilinguagem à Pinacoteca

0
6328

Foto: Divulgação

Divulgação
Arte e música se mesclam na Pinacoteca

Obras da artista Elisa Bracher continuam ocupando espaço nobre no complexo da Pinacoteca de São Paulo. Fundadora do Instituto Acaia, que atua na região da Leopoldina,Elisa expõe parte do acervo de seu ateliê no Pina Estação, prédio localizado Largo General Osório, 66, no bairro da Luz, e que originalmente abrigou os armazéns e escritórios da Estrada de Ferro Sorocabana.

A mostra Formas Vivas contará, neste mês de maio – sempre aos sábados, a partir das 11 horas -, com uma extensa programação de apresentações acústicas que buscam dialogar, por meio da música, com três grandes instalações realizadas pela artista, cada uma centrada em um material – madeira, papel e chumbo.

Elisa Bracher explora o caráter colaborativo entre linguagens, aproximando as artes visuais da música e da literatura. Ao convidar músicos de repertórios e práticas distintas, pretende-se explorar o modo como o som responde aos atributos de diferentes materiais, bem como sua capacidade de desenhar e reconfigurar nossa experiência espacial.

As apresentações acontecem nas galerias da exposição, no quarto andar da Pina Estação, com entrada gratuita, por ordem de chegada.

No dia 6, quem se apresenta é  Marlui Miranda (voz), acompanhada de Shen Ribeiro(flautas) e Rodrigo Felicíssimo (piano). No dia 13, Lulinha Alencar e Gabriel Levy interpretam composições ao piano e acordeão. O violão de Thiago Tavares e a  shakuhachi (flauta tradicional japonesa) de Shen Ribeiro presenteiam o público no dia 20 de maio. Por fim, no dia 27, uma apresentação de piano a quatro mãos, com Rosemary Mantovani e Rodrigo Felicíssimo.

NO COMMENTS

LEAVE A REPLY