Região conta com quatro unidades focadas em saúde mental

0
1879

A próxima segunda-feira, dia 10 de outubro, é o Dia Mundial da Saúde Mental, data que tem como objetivo conscientizar as pessoas da importância de se fortalecer políticas públicas relacionadas ao bem-estar emocional das pessoas.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou em junho deste ano um relatório que apresenta o panorama mais recente do tema, sendo que em 2019, quase um bilhão de pessoas, incluindo 14% dos adolescentes do mundo, viviam com algum transtorno mental. O suicídio foi responsável por mais de uma em cada 100 mortes e 58% dos suicídios ocorreram antes dos 50 anos de idade. Segundo o órgão, pessoas com condições graves de saúde mental morrem em média 10 a 20 anos mais cedo do que a população em geral, principalmente devido a doenças físicas evitáveis. Afirma ainda que o abuso sexual infantil e o abuso por intimidação são importantes causas da depressão e que as desigualdades sociais e econômicas, emergências de saúde pública, guerra e crise climática estão entre as ameaças estruturais globais à saúde mental. Os casos de depressão e ansiedade aumentaram mais de 25% apenas no primeiro ano da pandemia.

Na região, quem precisar de atendimento voltado à saúde mental pode recorrer a rede pública de saúde. Os Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) e as Unidades Básicas de Saúde (UBSs) são as portas de entrada para o atendimento na área e todos os CAPS trabalham em regime de porta aberta, ou seja, sem necessidade de agendamento prévio ou encaminhamento, oferecendo acolhimento e tratamento multiprofissional aos usuários que procurarem o serviço.

As unidades contam com uma equipe multiprofissional composta por médicos psiquiatras, psicólogos, assistentes sociais, enfermeiros e terapeutas ocupacionais que avaliam o quadro do paciente e indicam o tratamento adequado para cada caso. O CAPS também atua no acolhimento em situações de crise, nos estados agudos da dependência química e de intenso sofrimento psíquico. A internação hospitalar só é indicada quando esgotadas todas as possibilidades terapêuticas disponíveis no CAPS. Nos CAPS III, especificamente, existem vagas de acolhimento integral, nas quais os usuários podem permanecer para tratamento durante os estados mais agudos da doença por até quinze dias.

As unidades da região estão localizadas nos seguintes endereços: CAPS AD (Álcool e Drogas) III Leopoldina, na Avenida Queiroz Filho, 399, CAPS Adulto Perdizes, na Rua Doutor Cândido Espinheira, 616, CAPS Adulto III Lapa, na Avenida Brigadeiro Gavião Peixoto, 727, e o CAPS IJ (infantojuvenil) II Lapa, na Rua Bergson, 52. Os CAPS modalidade II funcionam das 8h às 18h, durante os cinco dias úteis da semana, já os da modalidade III tem atendimento 24 horas.

NO COMMENTS

LEAVE A REPLY