Prefeitura cancela Carnaval de Rua

0
104

Seguindo a conduta de outros municípios, na quinta-feira (6) a Prefeitura anunciou que a cidade de São Paulo não terá carnaval de rua neste ano. A decisão utilizou como base dados técnicos apresentados pela Vigilância Sanitária sobre o crescimento de casos e contaminação da variante ômicron e do surto de gripe na capital.

Para o prefeito Ricardo Nunes, a medida de não realizar as festas nas ruas foi tomada de acordo com a orientação das autoridades de saúde. “Demonstramos total transparência no anúncio do cancelamento com a apresentação dos dados preocupantes do cenário epidemiológico na cidade. Existia uma proposta de se fazer um carnaval controlado com o Passaporte da Vacina em ambientes grandes e abertos como o autódromo, mas também está descartada essa possibilidade”, disse o prefeito. Para o secretário municipal das Subprefeituras, Alexandre Modonezi, a decisão segue o que estava previsto no planejamento. “No ponto de vista legal, não existe nenhuma implicação. Em toda aprovação e publicação dos blocos foi deixado claro que a realização das atividades estava condicionada à autorização da Vigilância Sanitária. Em todo momento a gente reforçou isso. O patrocinador não depositou o recurso”, explicou.

Em relação aos desfiles no sambódromo, o tema ainda será discutido entre representantes da Prefeitura e da Liga das Escolas de Samba para definição de protocolos a serem seguidos. “Vamos construir um protocolo como construímos para outras atividades. Acabamos de fazer um para a São Silvestre e ela foi coberta de sucesso, com o cumprimento de tudo aquilo que a Vigilância Sanitária exigiu para a realização do evento. Inclusive com os corredores iniciando a corrida com máscara”, explicou o secretário municipal da Saúde, Edson Aparecido.

Dados do Município indicam que na quarta-feira (5) 53 mil pacientes procuraram os serviços de saúde com sintomas respiratórios. Por conta desse número elevado de novos casos, o prefeito Ricardo Nunes determinou a abertura de todas as Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e das unidades de Assistência Médica Ambulatorial (AMAs) também aos sábados.

A partir de segunda-feira (10) todos os eventos da cidade deverão exigir o Passaporte da Vacina. “Tínhamos um protocolo inicial que apontava que eventos com mais de 500 pessoas deveriam exigir o passaporte. Estamos fazendo essa alteração em função do quadro epidemiológico que a cidade vive hoje. Enquanto existir esse quadro de ascensão da ômicron na cidade, vamos exigir para qualquer evento a necessidade do passaporte”, afirmou Edson Aparecido.

NO COMMENTS

LEAVE A REPLY