Risco calculado

0
543

Os dados mostram a importância da prevenção da Aids, não só em 1 de dezembro – Dia Mundial de Luta contra a Aids , mas todos os dias com uma medida simples: o uso de camisinha. Quem dispensa o preservativo e insiste no compartilhamento de seringas corre um risco calculado. Cerca de 31 mil novos brasileiros são infectados com o vírus HIV por ano, alertou o diretor do Instituto de Infectologia Emílio Ribas, Luiz Carlos Pereira Junior, no lançamento da campanha virtual contra a Aids, terça-feira, na boate The Week, na Lapa. A mobilização virtual (facebbok) tem a finalidade de sensibilizar a população que mais tem se contaminado pelo vírus HIV. A preocupação do especialista é evitar novas contaminações. É que em outros países o número de pessoas contaminadas diminui, mas no Brasil ele cresce em 11%. “Não dá para dizer que a epidemia está controlada no Brasil quando temos 11 mil mortos por ano”, afirmou o especialista. Ele tem razão.

A Aids é causada pelo vírus HIV (sigla em inglês do vírus da imunodeficiência humana), que ataca o sistema imunológico, responsável por defender o organismo de doenças. Ter o HIV não é a mesma coisa que ter a Aids. Há muitos soropositivos que vivem anos sem apresentar sintomas e sem desenvolver a doença, mas podem transmitir o vírus a outros pelas relações sexuais desprotegidas, pelo compartilhamento seringas contaminadas ou de mãe para filho durante a gravidez e a amamentação. Por isso, é sempre importante fazer o teste e se proteger em todas as situações.

O vírus não perdoa idade ou classe social. As meninas precisam se cuidar. Na faixa etária de 15 a 19 anos as garotas tem se contaminando mais que os meninos, mas na faixa de maior risco, de 19 a 24 anos, são de homens que fazem sexo com homens que tem contraído a doença. Em 10 anos, a índice de adolescentes do sexo masculino triplicou na Capital. Outro público que está num processo crescente de contaminação é o da terceira idade. Na maioria das vezes são pessoas sozinha (viúvas ou separadas) que buscam parceiros e acabam contribuindo HIV.
Hoje só o Emílio Ribas tem cerca de 6500 pacientes soropositivos em tratamento. Artistas e personalidades participaram do evento em apoio à mobilização. A ex-moradora da Lapa e apresentadora Adriane Galisteu é a madrinha da campanha. Ela empresta a imagem para divulgação da campanha virtual. Adriane lembrou que o perdeu seu irmão para a Aids.
Segundo estimativas da Unaids (Órgão das Nações Unidas para a Aids), a cada 20 minutos um brasileiro tem se infectado com o vírus HIV e a cada três novos casos, um é de jovem de 15 a 24 anos.

Várias atividades acontecem no Dia de Luta contra a Aids, 1 de dezembro. Na região a unidade do Serviço Especializado (SAE Lapa) reforça a aplicação de teste de Aids e distribuição de preservativos. A Secretaria Municipal de Saúde e a de Transportes distribuirão preservativos nos terminal de ônibus da Lapa. A camisinha é gratuito e ainda pode ser retirado nas UBSs. Só corre risco quem quer. A contaminação pelo HIV tem controle, mas não tem cura. Sem dúvida, a prevenção é o melhor caminho. Pense nisso!

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA