Barra Funda tem melhor índice de emprego e Jaguara mais acidentes fatais de trânsito

0
230

Foto: Reprodução

Reprodução
Jaguara foi o bairro com mais mortes em decorrência da Covid-19

Desde 2012, a Rede Nossa São Paulo publica anualmente o Mapa da Desigualdade, com dados sobre os 96 distritos da cidade. O objetivo da publicação é identificar as prioridades e necessidades da população em cada bairro. Na quarta-feira (23) foi lançada a edição de 2022.

Sobre a idade média ao morrer, o melhor valor foi do Jardim Paulista, com 80 anos, enquanto Iguatemi, na Zona Leste, ficou com a média de 59,3 anos. A média de São Paulo é de 68,1 anos. Nos bairros da região as médias são 77,9 (Perdizes), 77,7 (Lapa), 75,9 (Barra Funda), 75,8 (Vila Leopoldina), 71,7 (Jaguara) e 70,6 (Jaguaré).

A Barra Funda ficou no 2º lugar com menos população, sendo o bairro menos populoso o Marsilac. Jaguara ficou em 4º lugar e a Vila Leopoldina em 11º. Perdizes ocupou o 6º lugar e a Lapa o 9º com menos pessoas pretas e pardas. A Vila Leopoldina é o 3º bairro com menor porcentagem de população feminina, enquanto a Barra Funda e Perdizes ocupam o 7º e o 10º lugares com mais mulheres. Em relação à população infantil (0 a 6 anos) Perdizes é o 4º com menos crianças e a Lapa o 10º. A Vila Leopoldina ficou em 15º lugar em relação a quantidade de pessoas em situação de rua. O primeiro foi a Santa Cecília.
Entre as 32 subprefeituras, a da Lapa ficou em 19º lugar em relação às moradias em locais de risco. A Lapa é a 5ª subprefeitura com melhores índices de coleta seletiva.

A Barra Funda foi destaque como bairro com mais oferta de emprego formal, por outro lado foi o bairro com maior coeficiente de pessoas que são vítimas de racismo, injúria racial, violência contra a mulher e pessoas LGBTQIAP+. Foi também o bairro com mais ocorrências de feminicídios. A Lapa ocupa o 8º lugar na relação de emprego formal e o Jaguaré o 10º. Em relação a remuneração média mensal, os valores da região são R$ 5.868,63 (Jaguara), R$ 3.980,22 (Barra Funda), R$ 3.963,31 (Jaguaré), R$ 3.839,29 (Vila Leopoldina), R$ 3.414,73 (Lapa) e R$ 3.406,15 (Perdizes). Jaguara, Vila Leopoldina, Barra Funda e Jaguaré também estão entre os dez bairros com menor presença de MEIs (microempreendedores individuais).

Enquanto a Barra Funda e Jaguara ocupam respectivamente o 8º e 9º lugar em acidentes de trânsito, Perdizes é o 6º bairro com menos ocorrências. A Jaguara foi o bairro da cidade com o pior índice de mortes no trânsito, enquanto a Barra Funda ficou em 3º lugar e Vila Leopoldina em 6º. A Jaguara ficou entre os piores no quesito desigualdade salarial entre homens e mulheres, considerando empregos formais. Foi também o bairro com a maior porcentagem de óbitos decorrentes da Covid-19. Perdizes e Barra Funda aparecem como o 4º e 7º bairro com menos mortes em decorrência da Covid.
Perdizes e Lapa estão no 5º e 6º lugares com menos casos de gravidez na adolescência.

Em relação ao tempo médio (em dias) de espera para consultas médicas na atenção primária, os dados da região são 10 dias em Perdizes, 14 dias na Jaguara, 16 dias na Lapa, 19 dias no Jaguaré e 23 dias na Vila Leopoldina. Não houve demanda das especialidades na Barra Funda.

Perdizes teve o pior desempenho na relação idade-série do ensino fundamental na rede municipal. Em relação a cultura, a Lapa é o 2º bairro com mais espaços culturais independentes, seguido pela Barra Funda em 4º lugar e Perdizes em 9º. A Vila Leopoldina ficou em 14º lugar, enquanto Jaguara e Jaguaré ficaram entre os piores no quesito.

O Brasil é o 9º país mais desigual do mundo, onde 1% das pessoas mais ricas recebem 38,4 vezes mais que os 50% mais pobres. Os dados completos do estudo estão disponíveis no site (www.nossasaopaulo.org.br/campanhas).

NO COMMENTS

LEAVE A REPLY